Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Ensaio sobre Decepções!

Imagem
Certamente você já disse:
Caramba, que decepção... Jamais poderia esperar isso desta pessoa...
Na realidade, a pessoa em questão, a que causou a decepção, pode estar isenta de qualquer maldade pela sua atitude. O problema maior está em nossos valores e na forma de como queremos que as pessoas sejam ou nos vejam.

Primeiro vamos analisar a palavra decepção. Para mim ela é formada por decepa a ação. Eu quero vê-la assim; eu a sinto assim. Cada um pode encontrar a sua verdade na comunicação que faz com as pessoas. As palavras são verdadeiros torpedos de energia potencializadas pelo que estamos vivenciando e, portanto, sentindo naquele momento. Se a energia é boa a palavra fica suave. Se for ruim pode funcionar até como uma verdadeira pedrada.

Decepção, para mim, conforme frisei acima, determina o final de uma etapa ou da maneira de se ver a mesma coisa. Depois de muito estudar, eu fico com a segunda hipótese. Não é recomendável sofrer pelo que causamos a nós mesmos. A dor é inevitável, m…

Dependência Quimica!

A DEPENDÊNCIA de qualquer substância psicoativa, ou seja, qualquer droga que altere o comportamento e que possa causar dependência (álcool, maconha, cocaína, crack, medicamentos para emagrecer à base de anfetaminas, calmantes indutores de dependência ou "faixa preta" etc.). A dependência se caracteriza por o indivíduo sentir que a droga é tão necessária (ou mais!) em sua vida quanto alimento, água, repouso, segurança... quando não o é!

"QUÍMICA" se refere ao fato de que o que provoca a dependência é uma substância química. O álcool, embora a maioria das pessoas o separem das drogas ilegais, é uma droga tão ou mais poderosa em causar dependência em pessoas predispostas quanto qualquer outra droga, ilegal ou não.
A Organização Mundial de Saúde reconhece as dependências químicas como doenças. Uma doença é uma alteração da estrutura e funcionamento normal da pessoa, que lhe seja prejudicial. Por definição, como o diabete ou a pressão alta, a doença da dependência não é…

Praia de Mauá!

Conhecer a Praia de Mauá é conhecer um pedacinho de sossego... a paisagem é bucólica, serena e inspiradora. Mar, pescadores, garças... mas talvez o que Mauá tenha de melhor seja de fato seu povo acolhedor e alegre, como a Nilza, a Neusa, o Robson e suas histórias de pescador...
Entre conversas e risos, passa-se um dia sem perceber que as horas passam! Muito embora hajam divergências quanto a infraestrutra do lugar, não se pode negar o quanto é acolhedor e revigorante.
Caminhar pela praia é apenas uma opção... ainda há aquela tranquilidade de se deixar o carro aberto, a camaradagem entre os moradores e aquela sensação de que estamos em casa.
Ter o privilégio de dormir e acordar com o murmurar das ondas do mar é no mínimo encantador! Parabéns aos novos amigos que lá conquistei, não somente pela hospitalidade, mas pelo carisma e pela alegria.
Mauá é e sempre será um refúgio das agruras de uma cidade grande e perdida em solidão. Ali, encontra-se paz!
Mauá eu te quero muito mais!

Quatro anos da Lei Maria da Penha!

Todos os dias as Deams recebem mulheres vítimas de violência... segundo pesquisas, cerca de dez mulheres são assassinadas por dia em solo brasileiro. As que chegam às delegacias atingiram o limite do suportável, mesmo para quem tem a autoestima e a capacidade de reagir corroídas pelas agressões físicas e morais continuadas. Algumas correm risco de morte e, neste caso, são isoladas, com seus filhos, por até seis meses em casa-abrigo da Prefeitura, cujo endereço é mantido em segredo até para as autoridades policiais.
Mas, antes de chegar a uma situação extrema, houve muita agressão, compaixão, perdão, tentativas, que vão minando a integridade emocional e moral da mulher, a ponto de muitas não terem força de sequer procurar os serviços de ajuda. É uma relação complementar, doentia. A mulher fica na expectativa de que o companheiro mude. Tudo começa com atitudes que costumam ser relevadas, como um xingamento, mas que têm a tendência de ir crescendo em proporção e agressividade.


A Lei Maria…

Entendendo a Depressão!

Depressão é uma palavra freqüentemente usada para descrever nossos sentimentos. Todos se sentem "para baixo" de vez em quando, ou de alto astral às vezes e tais sentimentos são normais. A depressão, enquanto evento psiquiátrico é algo bastante diferente: é uma doença como outra qualquer que exige tratamento. Muitas pessoas pensam estar ajudando um amigo deprimido ao incentivarem ou mesmo cobrarem tentativas de reagir, distrair-se, de se divertir para superar os sentimentos negativos. Os amigos que agem dessa forma fazem mais mal do que bem, são incompreensivos e talvez até egoístas. O amigo que realmente quer ajudar procura ouvir quem se sente deprimido e no máximo aconselhar ou procurar um profissional quando percebe que o amigo deprimido não está só triste.
Uma boa comparação que podemos fazer para esclarecer as diferenças conceituais entre a depressão psiquiátrica e a depressão normal seria comparar com a diferença que há entre clima e tempo. O clima de uma região ordena …

Alcoolismo!

O que é?
O alcoolismo é o conjunto de problemas relacionados ao consumo excessivo e prolongado do álcool; é entendido como o vício de ingestão excessiva e regular de bebidas alcoólicas, e todas as conseqüências decorrentes. O alcoolismo é, portanto, um conjunto de diagnósticos. Dentro do alcoolismo existe a dependência, a abstinência, o abuso (uso excessivo, porém não continuado), intoxicação por álcool (embriaguez). Síndromes amnéstica (perdas restritas de memória), demencial, alucinatória, delirante, de humor. Distúrbios de ansiedade, sexuais, do sono e distúrbios inespecíficos. Por fim o delirium tremens, que pode ser fatal.
Assim o alcoolismo é um termo genérico que indica algum problema, mas medicamente para maior precisão, é necessário apontar qual ou quais distúrbios estão presentes, pois geralmente há mais de um.
O fenômeno da Dependência
O comportamento de repetição obedece a dois mecanismos básicos não patológicos: o reforço positivo e o reforço negativo. O reforço positivo r…

Inquietações!

Estamos nos aproximando do dia dos pais. E acredito que nunca antes sentimos tantas inquietações em nossas famílias. Somos assombrados por crimes familiares cada vez mais horrrendos e estarrecedores. Estamos perdendo nossas crianças para as drogas, para os pedófilos, para o submundo da humanidade. Fala-se dos agressores, fala-se das punições, mas pouco ou quase nada se fala das vítimas. Fico me perguntando, até quando? Nos preocupamos com a alta do dólar... mas somos incapazes de nos preocupar com as nossas vítimas a menos que nos atinja diretamente.
Imagino quantos pais terão de fato um dia agradável em família.
Estamos perdendo o sentido da palavra Família!
A família é o núcleo básico das relações humanas, é a célula máter da sociedade.
É na família que começamos e aprendemos a nos relacionar com as pessoas. Uma
família ajustada e equilibrada formará indivíduos saudáveis e felizes para a vida social. Pelo menos, assim deveria ser...

Então, podemos suscitar a hipótese de que estam…