Vergonha Nacional!


Numa época em que dez mulheres são assassinadas por dia no Brasil; eu ouso a perguntar: Quando teremos de fato um código penal do qual poderemos nos orgulhar? O qual realmente puna o culpado, sem falhas ou brechas para a impunidade?
Nós, "mulheres civilizadas", ditas independentes, arrojadas e conscientes de nossos deveres e direitos, estamos aquém da realidade de outras milhares de mulheres, as quais vêem suas vidas ceifadas pela violência doméstica.
Assistimos pelos noticiários as barbáries e cruzamos os braços, omissas no conforto de pensar que não nos pertence. Até que um dia a mesma barbárie atinge o limiar de nossas portas. Pois violência não escolhe cor, raça, situação financeira... ela é sem preconceitos! De uma forma ou de outra pode nos atingir a qualquer momento. E a pergunta que faço é: Estamos cientes do que fazer? Como fazer? Temos coragem em denunciar e não somente denunciar mas também levar adiante?
Muitas mulheres sequer tem tempo de denunciar...
Mas denunciar pra quê? Haja vista que existem os Mizaéis, os Brunos, os Paulos, os Mauros que contando exatamente com a impunidade matam e saem ilesos... isso porque o nosso quase centenário código penal os alicerça a cada dia. E mesmo condenados, ainda existe a progressão de pena... coitadinho! Já está preso há tanto tempo... merece a condicional! E pra que? Pra novamente cometer os mesmos, senão outros crimes. E ainda existem aqueles que defendem estes ditos "cidadãos" fervorosamente denegrindo para isso a imagem da vítima que passa a ser Ré!
Digo, indignadamente que esta realidade tupiniquim só vai mudar, se um dia mudar; caso todas nós, "mulheres civilizadas ou não" nos conscientizarmos que é preciso reunir forças, fazer protestos, mobilizar para transformar. Precisamos de um novo código penal, justo! Cumpridor de seu real papel e isso é pra ontem!
Vivemos na era digital, estamos conectados com o mundo inteiro... mas não somos capazes de defender, proteger e educar nossa dita "sociedade" para o que chamamos "Direitos"!
Precisamos fazer deste século um ícone pela NÃO VIOLÊNCIA Á MULHER! E somente conseguiremos isso no dia em que deixarmos de competir uma com a outra e enxergarmos que a maior vaidade que pode existir é: poder viver uma vida sem violência.
Temos que criar nossos filhos na conciência de que bater em mulher é crime. Somente através de uma educação familiar franca, sem falsos pudores e com a parceria de políticas públicas sérias para este setor, conseguiremos reverter este quadro lamentável e que é motivo de vergonha nacional.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio