quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Orientações sobre pedofilia!

Entendendo a pedofilia...

Uma pessoa aparentemente comum, que sente prazer sexual com crianças e sofre de uma doença ainda sem cura. Esse é o único perfil possível de traçar sobre um pedófilo.
Mas independentemente de quaisquer definições científicas; temos que ter em mente que existem determinados comportamentos aos quais devemos estar atentos.
Um pedófilo geralmente é alguém de confiança, do seio familiar ou até mesmo do círculo de amizades.

A maioria dos casos de pedofilia acontece dentro de casa, por parte de um parente; mas não se percebe. A não ser, em casos mais extremos. A descoberta normalmente acontece quando o pedófilo é violento, machuca ou mata sua vítima.
Para cada pedófilo homem existe uma pedófila mulher. Isso não se torna público porque a sociedade tem visões diferenciadas sobre a prática do abuso por um ou pelo outro.
Entre os motivos que ajudam a pedófila permanecer anônima estão:
* A mulher é mais comedida na área sexual.
* A questão da vergonha e da dor.
* Para meninos o fato de fazer sexo com uma mulher mais velha é razão para orgulho e não para dor.
Algumas mães são coautoras da pedofilia, porque sentem prazer ao permitir que seu companheiro mantenha relações sexuais com seus filhos, o que não a exime da culpa; o que também não significa que seja a maioria...
A escolha de denunciar ou não um pedófilo parte, muitas vezes, da mulher. Em algumas situações ao descobrir que os filhos são abusados elas entram em pânico e permanecem caladas. Já em outros casos o silêncio está associado ao casamento, tratado como um negócio.

Pontos de consideração:

* O pedófilo clássico:tem seu prazer em convencer a criança a ter relação sexual com ele.
O processo de aproximação e de sedução da criança mexe com a libido desse pedófilo. O controle que ele assume no ato de seduzir o excita.

* Os casos mais graves: Nesse tipo de ação o pedófilo chega a bater e a torturar a criança. Pode até matá-la. Esse tipo de pedófilo, geralmente, também é enquadrado como psicopata.

* Doença de causa desconhecida: A medicina ainda não sabe se o pedófilo nasce com a doença ou se a desenvolve através da família. A única informação confirmada é de que o convívio social pode influenciar.

* Pedofilia já foi tratada com normalidade: Em determinados momentos da civilização humana a pedofilia era vista como uma coisa normal, como na Grécia, onde era até de bom tom.

Como agem os pedófilos?

É importante ressaltar que o pedófilo precisa ter ou estabelecer um vínculo de confiança com sua vítima...
Trata-se de alguém acima de qualquer suspeita, muito amável, com habilidade suficiente para ludibriar não somente crianças mas também adultos. O pedófilo não é um louco, não age de modo precipitado, ao contrário; muitas vezes gasta tempo em sua conquista, quer seja presencial ou pela internet.
Saiba que antes do abuso em si existe o período em que se estabelece o vínculo entre as partes, como em qualquer relacionamento.
Grande parte prefere acariciar genitais e fazer sexo oral a praticar ato sexual vaginal e anal. Entre eles, há os pedófilos homossexuais, que molestam meninos, e os heterossexuais, que agridem meninas. Também há os que não praticam nenhum tipo de ato sexual em si, apenas fantasiam sexo com crianças. Para abordar, há duas estratégias: os que “gostam” de crianças procuram agradá-las para ganhar sua confiança, dando doces, brinquedos, dinheiro. Os chamados pedófilos agressivos fazem sexo à força e até batem nas vítimas.
Em casos de pedofilia na internet é importante saber que:
* O pedófilo se utiliza das informações fornecidas pela própria criança ou adolescente quando colocam seus dados em sites, blogs, Orkut, chats. Essas informações servem ao pedófilo para construir a sua falsa imagem, com a qual vai se apresentar à vítima.
* Como tática de sedução, pode se passar por uma criança, ganhando a confiança da vítima. Pode também oferecer algum benefício monetário ou presente;
* Abordam temas sexuais nas conversas com o propósito de acabar paulatinamente com as inibições das crianças e adolescentes;
* Pode sugerir à criança que ligue a webcam para fotografá-la sem que ela saiba. Muitos pedófilos utilizam essas imagens para chantageá-las em busca de mais fotos ou de encontros, sob ameaça de divulgação;
* O pedófilo pode levar até dois anos com o cerco à sua vítima. O objetivo é seduzir, convencer a criança para conseguir um contato real posteriormente.

O que podemos fazer?

Os Pais ou Responsáveis: Vigiarem, acompanharem e, interpretarem às reações dos seus filhos, pois existem sinais no comportamento que são fáceis de discernir e que muitas vezes podem indicar abuso sexual.

Fazer uma triagem dos amigos e colegas, sempre é recomendável. Afinal deve-se saber com quem seu filho está se relacionando e como se dá este relacionamento.
Nunca deixar filhos menores sozinhos em sites de relacionamentos.

Não permitem que as suas Crianças fiquem desnudas em público e, até, na sua casa. Ensine de modo claro e objetivo o que são seus órgãos sexuais, para que servem e principalmente que não devem ser tocados por ninguém seja conhecido ou estranho.

Estabeleça um vínculo de confiança com seus filhos através do diálogo franco.

Só deixar às suas Crianças saírem de casa, em passeios, festas, igrejas, bares, escolas etc. acompanhadas de pessoas idôneas, que possam protegê-las.

Acompanhe os horários escolares dos seus filhos menores, sempre ligando ou, contatando, com a escola a respeito dos seus comportamentos, término de aulas, companhias etc.

Oriente seus filhos quanto a não aceitarem caronas de estranhos.

Todos estes cuidados não impedem a pedofilia, mas contribuem para dificultar que casos assim se repitam.

Como denunciar?

Por telefone: Disque 100 - Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. Discagem gratuita em todo o território nacional.

Polícia: Em caso de flagrante, a polícia deve ser acionada imediatamente.

Conselhos tutelares: Os conselhos tutelares foram criados para zelar pelo cumprimento dos direitos das crianças e dos adolescentes. A eles cabe receber a notificação e analisar a procedência de cada caso, visitando as famílias. Se for confirmado o fato, o Conselho deve levar a situação ao conhecimento do Ministério Público.

Varas da Infância e Juventude: Em municípios onde não há conselhos tutelares, as Varas da Infância e Juventude podem receber as denúncias.

Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente. Delegacias da Mulher também podem receber queixas.

Pela Internet

Centro de Defesa da Criança e do Adolescente www.cedeca.org.br

Campanha Nacional de Combate à Pedofilia na Internet www.censura.com.br

Departamento da Polícia Federal: aceita denúncia clicando em "fale conosco" ou pelo e-mail dcs.dpf.gov.br

Ministério da Justiça: Aceita denúncia pelo e-mail crime.internet@dpf.gov.br ou em "fale conosco" no site www.mj.gov.br

Rede Nacional de Direitos Humanos: www.rndh.gov.br

Agência de Notícias dos Direitos da Infância: www.andi.org.br/denuncie

Cabe a cada um de nós fazermos o nosso papel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário! Mia Malafaia!