Gravidez e Consequências!


A gravidez precoce é um dos problemas mais debatidos atualmente sobre a sexualidade, uma das maiores preocupações para as famílias, que pode trazer sérias conseqüências para o futuro dos adolescentes, que muitas vezes se arrependem.
Uma pesquisa realizada recentemente no Brasil mostrou que 20% das crianças que nascem por ano, são filhos de adolescentes com menos de 15 anos, um número consideravelmente alto, e que nos últimos 40 anos só vem aumentando, causando ainda mais preocupações.
Segundo especialistas essas famílias acabam ficando desestruturadas, isso porque muitas delas não possuem uma renda familiar estável, emocional para assumir tanta responsabilidade. Muitos jovens deram o seu relato que foram expulsos de casa, o que acaba tornando mais difícil para os adolescentes, largando muitas vezes os estudos e ainda tendo que conciliar o trabalho.
Geralmente a gravidez precoce não teve planejamento, acontece em meio de namoros sem estabilidade ou até mesmo em alguns casos adolescentes solteiras. Vale lembrar que a gravidez precoce não é um problema somente das meninas, mas também dos rapazes que também precisam ter consciência de seus atos.
O que é preocupante em uma gravidez precoce é a saúde da mãe e da criança, pois a incidência de parto prematuro e nascimento de crianças abaixo do peso são maiores entre as mães adolescentes. Estudos indicam que adolescentes grávidas são menos propensas a receber assistência pré natal, muitas vezes acabam procurando somente no terceiro semestre de gravidez
A pesquisa nos hospitais brasileiros mostrou que nos últimos anos o atendimento á adolescentes grávidas cresceu mais de 30% entre garotas de 10 á 14 anos. Elas acabam ganhando mais responsabilidade, um período que poderiam brincar e estudar, para quem sabe garantir um futuro melhor.
Muitas adolescentes grávidas são sujeitas a deficiência nutricional, por causa de maus hábitos alimentares na adolescência, como dietas, consumo de alimentos pobres em vitaminas. Jovens correm o risco de ter complicações na gravidez que resultam em muitas mortes e ainda estão mais propensas a contrair o vírus do HIV.
A taxa de mortalidade de grávidas pode ser de até cinco vezes maior para as meninas com idade entre os 10 a 14 anos de idade do que para as mulheres com mais de 20 anos de idade. Há riscos de problemas no parto em regiões onde os serviços médicos podem estar indisponíveis, podendo ocorrer eclampsia, fístula obstétrica, a mortalidade infantil e materna.
Muitas adolescentes não estão preparadas fisicamente e psicologicamente para essas alterações na vida. Por isso, é necessário que a família dê apoio e orientações sobre sexo, para seus filhos e assim evitar que isso ocorra precocemente.
As escolas normalmente realizam um projeto de conscientização, mas muitas vezes não é o bastante. Os especialistas revelaram que o auxilio dos pais também é muito importante, o diálogo é fundamental, os pais precisam passar confiança, mostrando o que é certo e o que é errado. Afinal a maioria dessas adolescentes confirmou que muitas vezes buscam em outras pessoas algo que não encontram em casa, como amor, carinho, compreensão, e isso acaba dificultando bastante.
Esse é um problema que vem afetando não só o Brasil, mas o mundo inteiro. Atualmente existem muitos métodos contraceptivos, como é o caso da camisinha, que além de evitar a gravidez, também evita as temidas doenças sexualmente transmissíveis. A pílula também é outro método recomendável, porém é preciso uma orientação médica, este é um dos métodos mais utilizados pelas mulheres.
Mas importante que qualquer método contraceptivo, está o diálogo familiar, sem falsos pudores e com responsabilidade.
--
Mia Malafaia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio