Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

Sinto Diferente!

Imagem
Eu sinto diferente!
Não vejo a olhos nus...
Não sinto com a razão...
Sinto no sangue pungente
A dor que sente esta gente
Ao andar de pés no chão!

Eu sinto diferente!
Não vejo simplesmente...
Decifro com a alma
A alma daqueles que sentem
O que é sofrer por nada
E o nada a perder desta gente!

Olhos esbugalhados, olhos de oprimidos
Gente que perde a vida, vivendo a vida somente!
Sinto sua dor criminosa
De gente que busca sentir
O prazer de ser vivo, o prazer de sorrir!

Sinto diferente...
Com a sensibilidade dos utópicos...
Com os olhos de quem chora...
Eu sinto a dor da criança que por comida, roga!

Eu vejo os pés descalços,
As mãos estendidas por pão
De milhares de miseráveis
Esquecidos, ainda que vivos,
Jogados na sarjeta, ao meio fio do chão!

Eu sinto suas noites de frio
A pele que enruga tão rápido
A incerteza, o vazio
De quem sofre calado!

Gente sem rumo, sem vida
Ainda que vivos, já condenados
 A viver somente ao largo
Do que poderia  ter tido na vida.

Gente sem nome, sem rosto, sem…

Vejo o Mal!

Imagem
Olho ao meu lado e vejo o mal... Crianças desamparadas, com fome, sem lar Vejo pessoas drogadas, sem chances de amar!
Olho ao meu redor e vejo o mal... Pessoas nas ruas, sem casa, sofrendo Vejo lágrimas, vejo tristezas, ser humano morrendo!
Olho ao meu redor e vejo o mal... Num olhar perdido no tempo de alguém que nada vê! Num olhar perdido no vento De um tempo que não mais crê!
Sonhos devastados por misérias Dias de luto ainda vivos Sonâmbulos zumbis de uma história que ninguém ousou contar!
Vejo o mal... vejo o mal! Toda vez que uma criança não sabe ler Toda vez que um adulto não consegue aprender!
Vejo o mal... vejo o mal! Sempre que o homem deixa de ser Aquilo ao que o homem se propôs em dizer!
Todas as vezes em que as crianças mantém seus pés descalços Todas as vezes em que os adultos induzem com lábios falsos!
Vejo o mal na humanidade, No passado por lutar por terras No presente por nada lutar No futuro de desigualdades Nos corações que não sabem amar!
Vejo o mal... vejo o mal!

O Tempo!

Imagem
Os dias passam ininterruptamente, não param, não voltam!
O relógio apenas segue as horas como sempre foi...
Nada retrocede, tudo segue em frente.
Mas num olhar mais atencioso, podemos perceber que:
Nada é igual ao dia anterior...
Novos aromas permeiam o ar;
Novas flores colorem os jardins...
Outros sons, outras pessoas, outras vivências!
O que permanece igual é o que carregamos dentro de nós...
Nossa maneira de pensar, nossa maneira de encarar a vida!
É neste momento que precisamos realizar uma faxina íntima...
Jogar fora os grilhões que nos amarram ao passado
Jogar fora sentimentos de vingança
Eliminar lembranças desagradáveis... refazer o ser!
Apreciar o belo, resgatar o bem querer...
Não lamentar o que não aconteceu....
Observar o que deu certo, inspirar-se na alegria de estar vivo.
Munir-se de palavras de incentivo...
Aprender com o que nos rodeia, seja positivo ou não!
Manter os bons amigos, refazer antigas amizades...
Novos amores, novos sabores, novas atitudes!
Podemos não ter c…

Eu Quero

Imagem
Eu quero um sonho pra toda a vida...
Quero um romance pra viver, um cão pra passear
Uma casa onde eu possa meus sonhos, sonhar!

Eu quero a beleza de dias cinzentos
Sejam puros, sejam frios
Quero a pungente urgência de ser!

Não quero perder-me por nada
Quero ser quem sempre fui
Alegre, triste, polêmica, crua...

Nas águas de um rio...
nadar seminua!

Quero poder me enxergar nos teus olhos
E não ser ignorada, antes; ser amada pelo que sou!

Eu quero pegar na tua mão,
sentir teu calor, teu temor, teu amor
ser tua alma gêmea, tua cúmplice, companheira!

Ser o que sempre desejei!
Sem disfarces, sem afetações, sem máscaras!

Quero poder dizer que te amo
Sem medos, sem pudores...
Poder gritar nos teus braços
Arranhar, gemer, soluçar!

Quero as travessuras de criança
Me abrigar no teu sorriso,
Como num castelo de fadas.

Eu quero poder querer, sem nada dizer a respeito!
Num olhar ser entendida, amparada, amada, desejada e protegida!
Eu quero assim ter você!

E que seja infinito cada momento...
Eterni…

Ensaio sobre a Vida!

Imagem
Levanta, erga-se!
Nada do que foi voltará a ser como antes!
Refaça-se!
Reconstrua-se!
Não mire o passado, mire o futuro!
O tempo não volta atrás!
Devemos apenas aprender dos erros e não mais cometê-los!
Que os cometamos, mas de outras formas...
Tudo nos é permitido, desde que o façamos!
Fechar os olhos não é solução!
Omitir-se também não!
Ame-se! Doe-se! Queira-se!
A vida é muito mais que o dia a dia!
A vida é emoção, sentimentos, enganos e devaneios!
Sinta o aromas dos flores...
Delicie-se com o frescor da brisa...
Deixe seus pés banhar-se no mar!
Exerça a coragem... encontre-se!
Perca-se em contradições, reavalie-se!
Discuta, brigue, arme-se.
A vida só tem sentido na sua máxima vivência!
Não seja figurante de suas emoções, seja espetáculo, brilhe!
Reinvente-se!
Não se apegue demais, não sofra demais!
Voe alto, voe raso, voe!
Não importam as distâncias... importam os destinos!
Nada é direção, tudo é caminho...
Alma de poeta não se aprisiona...
Então, liberte-se!
Vista-se de linda!
Su…

Mulheres de Fato!

Se queres um príncipe, haja como sendo parte da realeza!
Mulheres são sonhadoras, românticas... sejam elas feministas ou não! São: mulheres! E como tal, tem em sua essência a fragilidade e a emoção. Nem todas expressam isso, mas em algum momento da vida, assim o são! Umas sonham ser mãe, outras apenas ser bem sucedidas... Mas dentro de cada uma de nós pulsa um coração. Com dúvidas, anseios, sonhos, decepções, resiliências! Somos feitas de sensibilidade, somos guerreiras, desejosas de felicidade. Queremos um príncipe, queremos um amor! Existe aquele momento em que nos vemos no outro como complemento Como sendo a extensão de nós mesmas...  Desejamos as borboletas no estômago, as pernas bambas, aquele estremecer de um mero olhar. Desejamos muitas vezes, o sapatinho de cristal pra ser perdido... A carruagem, o vestido de seda, os galanteios, as flores... O "cara" que Roberto Carlos descreve em sua canção! Desejamos e não o temos! Talvez por sermos modernas, avançadas, ousadas... …