O Pássaro

Eu queria poder voar...
Ver o cosmos...
Poder flutuar por entre as nuvens
Como um pássaro livre
E sem pressa de voltar!

Contornar altas montanhas
Voar, voar, voar...
Bater as asas simplesmente
E planar...

Ter a liberdade de dias quentes e frios
Sem medo das tempestades
Por nas árvores me abrigar...

Sentir o frescor das águas de cachoeiras
Mato com cheiro de terra molhada
Odores de florestas encantadas
E ali apenas repousar...

Vida de pássaro sem destino
Bandoleiro e sem perigo
De alguém me aprisionar.

Queria poder voar bem alto
Deixar que as minhas asas me transportassem
Ao limite da irrealidade
Flutuar... planar... sentir o ar faltando
E assim poder sentir a essência de estar viva.

Embrenhar-me em mundos ainda não vistos
Galgar vales e montanhas
Subir e descer num doce regalo...
Ser livre de amarras
Ser livre de prantos!

Poder entoar um canto lírico
Poder saborear a liberdade
Poder descansar minhas asas
Num belo rochedo do deserto!

Sem contrariedades
Sem pressa de voltar!
Ser pássaro pra sempre
Livre de mim! Livre de ti!
Livre!

Oh, asas da imaginação
Liberta a minha alma
Dos riscos da vida no chão...
Que eu voe bem alto
E quanto mais alto eu for
Que eu voe e voe com mais emoção!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...