A Liberdade do Eu!

Posso ser livre estando acorrentado...
Posso galgar vários céus...
Posso transpor-me em altos mares...
Por ser livre dentro do meu EU!

Posso não dizer nada
Posso usar das palavras
Sinto-me livre para assim o decidir...

Sou mensageiro de mim mesmo
Isolado, aferroado, prisioneiro da iluminação
Homem fraco, tolo e insensato
Mas tão livre que vagueia...

Posso tudo que EU quiser
Tudo que EU puder...
Desde que livre me faça!

Pois toda liberdade é uma forma de prisão...
Onde o homem se vê acorrentado
No afã de sentir-se livre de si mesmo
Vê-se preso pelo coração.

Livre sou! Livre estou!
Mesmo que nos grilhões desta masmorra
Não há sofrimento que não passe
Nem amor que não morra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...