Desnudando-se

Quando escrevemos,  desnudamo-nos...
Colocamos a nossa intimidade impressa,
Nem sempre conseguimos a imparcialidade
Nem sempre somos sinceros... mas nos desnudamos!
Expressamos aquilo que vai no íntimo
Colocamos a alma no papel
Dizemos coisas sem nexo, falamos de coisas secretas!
Expomos o Eu, mesmo não querendo
Quando publicamos, arriscamo-nos!
Deixamos que outros olhos nos avaliem
É como mostrar-se nu...
Alma lavada, desnudada, sem máscaras
Um espelho em alta resolução...
Colocamos nas entrelinhas, dores, dissabores, alegrias
Falamos de amor, gritamos a dor, e criamos poesias!
Podemos viajar por um mundo cheio de mistérios
Muito peculiares, muito detalhistas...
Expomos pensamentos, lugares, lembranças
Discutimos fatos, boatos, dúvidas...
Falamos daquilo que somos e queremos ser
Colocamos nossa vida em letras e linhas
Palavras, frases e manuscritos...
Compomos a nossa história em versos, prosas, rascunhos
Romances, tragédias, comédias...
Pintamos em rabiscos, em braile, em riscos
Aquilo que não ousamos dizer!
Escrever sobre si mesmo é revelar-se
É deixar um pouco de si aos outros
Sem saber como seremos recebidos.
Verdades e mentiras misturadas...
Palavras soltas, meias verdades
Ou quem sabe, verdades absolutas...
Não importa o que deixamos escrito
Basta saber que foi algo importante num momento
E já saberemos que deixamos um pouco de tudo ali...
Uma fração do tempo que não volta
Mas que se eterniza no papel...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...