O que Avilta a Alma

O que sente uma criança que foi violentada?
Posso dizer que o primeiro sentimento é de desespero, depois vem o medo...
Na verdade, são avalanches de sentimentos como: insegurança, desamparo, desconfiança, solidão.
Há que ser entendido que a violência é mais que no físico, é no íntimo, na alma, no mais profundo do ser.
Perde-se um pouco a noção da realidade, do que é certo ou errado.
O mundo parece estranho depois do fato consumado. É como se os olhos dos outros estivessem sobre você mas de forma acusadora. A compaixão é algo que incomoda... faz com que a criança, a grande vítima do fato, passe a sentir-se como um ser de outro planeta.
E existe a curiosidade mórbida daqueles que não sabem como ajudar, mas que querem detalhes de algo que na verdade, a vítima só quer esquecer.
Os sentimentos de uma criança violentada se confundem também com a revolta conforme vão passando os anos, conforme vão se assentando as coisas dentro de si. Ao perceber tudo o que aquilo significa, os sentimentos vão deixando de ser apenas um amontoado de fios soltos e passam a contabilizar as perdas.
Pois muito se perde da infância...
Uma das coisas mais valiosas que se pode dizer a respeito é com relação a confiança!
Reduz-se a auto-estima.
Sente-se no olhar da criança a profundidade de seu sofrimento, sua solidão, sua tristeza.
Muito embora ela não saiba definir, certamente o sente.
É algo que transcende qualquer tipo de orientação religiosa... Deus nada tem haver com  esta insatisfação com a vida e com as pessoa ao redor! A dor que fica é de perda irreparável.
Posso falar por mim!
Os sentimentos muitas vezes se revezam da incompreensão ao desespero de sentir-se diferente das outras crianças...
É um misto de desesperança e amargura, talvez sem nomenclatura por uns anos, mas que um dia se nomearão.
É fato que cada qual tem seu modo de superar ou não um fato trágico como este, mas esquecer é algo que nunca irá acontecer.
E cada vez que um fato novo acontece, lembranças afloram mesmo que inconscientemente. São dores revividas uma vida inteira, mesmo que de modo adverso.
A família inteira é atingida mesmo que façam vista grossa.
É um sentimento que destroça a alma, que perdura e se intensifica com novas lembranças.
A violência na alma é a mais aterradora que um ser humano pode sentir.
É ela que destrói a esperança, a alegria, os sonhos!
Uma criança violentada é uma criança de alma roubada, de infância negada e de vida entrelinhas!
Superar depende muito de como será tratada, aceita e principalmente amada...
Esquecer é algo raro.
Não se esquece o que foi cravado a ferro e fogo dentro do íntimo.
E posso dizer que confiar não  será o verbo principal na vida de alguém que teve sua inocência deturpada!
É importante dialogar, deixar que a criança exerça seu papel de falar. Prestar atenção ao seu silêncio, que diz tanto ou mais sobre o que ela está sentindo.
Deixar que ela se sinta amada não pelo fato do que aconteceu, mas pelo que ela é.
Uma criança violentada é uma criança em sofrimento!
E existem tantas violências que se podem cometer depois de um estupro... são palavras mal colocadas, olhares inexpressivos, falta de afeto, descasos, ausências...
Se nos colocarmos no lugar da vítima e procurarmos entender o que ela sente, talvez possamos amenizar o seu sofrimento através do amor incondicional que todos os pais deveriam ter por seus filhos.
Nada ajuda mais do que o nobre sentimento de sentir-se amado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...