Pobre Coitado

Vida de pobre é engraçada...
Chega em casa, não tem água
Falta a luz na madrugada
E a marmita cai no chão!

O pobre não tem sossego
Vai pra rua logo cedo
Em busca do seu quinhão!

Recebe o seu salário
Sai feliz e contente
Achando pobre coitado
Que agora pode ser gente
Paga o aluguel, fica sem nada
Com a cara de duro de sempre...

Conta história pro patrão
Mata pai, mãe e até irmão
Quando falta no serviço
Para deus pede perdão
Mas não poderia faltar
Ao churrasco do timão!

É sacana essa vida
De ficar em pé em fila
Pegar ônibus lotado
Sem nenhum lugar sentado
E ter que rir pobre coitado!

Vida de pobre é engraçada
Cheia de vai e vem
Marido que chega em casa atrasado
Leva bola nas costas meu bem!

Atura filho gripado
Atura sogra ranzinza
Atura até o gato
Que fica miando no telhado
Enquanto admira a vizinha...

Eita pobre descabelado
Sem dente e sem retrato
Que burla com ginga o mal trato
E os percalços da vida
Sempre no peito a esperança
De ser sorteado na quina!

Sonha em ser milionário
Andar de carrão e ser gente fina
Ser chamado de doutor
Sem ter cursado medicina...

Pobre coitado do pobre
Que vive o veneno do dia
Vendendo o almoço
Pra matar a fome
No sabor do café com farinha!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio