Uma Foma de Sentir!

Sentimento é joia rara!
E cada um de nós temos uma forma peculiar de sentir...
Alguns compreendem o amor como abnegação, outros; como devoção!
Mas talvez o que não se pense é na lógica do outro.
Pois o que para uns é eterno, para outros há um fim!
O fato é que sentimento não se mede em estatísticas de quem ama demais ou de menos.
Não existe porcentagem de amor, existe o sentir!
E há o alvoroço dos medos, das incertezas sim, pois somos falhos, somos humanos!
E maior que a dor deve ser a generosidade de amar, de se doar, de perdoar.
São nas inconstâncias, nas intransigências, nos debates acalorados, nos desvios que podemos acertar o caminho.
São nos momentos mais difíceis que devemos exercer o tão aclamado amor!
Quando a crítica sobrepõe-se ao sentimento, quando os defeitos são mais importantes que as qualidades, certamente haverá desequilíbrio de ideias, desequilíbrio de harmonia.
Amar é acima de tudo compreender que o outro não é perfeito.
É não exigir do outro aquilo que não temos em nós!
É amar simplesmente pelo fato do outro estar ali, ao alcance dos olhos, mesmo que não estando ao alcance das mãos...
Amar na dor, sem dramas...
Amar no sonho... nas entrelinhas... nas chamadas cumplicidades!
O sentir é mais importante.
E tantas vezes nos apegamos aos sentimentos mais pesados, às mágoas de um passado que enterra todo futuro... preferimos a dor de nos sentirmos fracos do que o amor que nos exige tanto!
Sentimento é sempre controverso!
Há quem ame do início ao fim.
Há quem nunca conheça ou se permita ao amor.
Há quem fique pelo caminho.
O amor é para todos, sem distinção... mas nem todos o escolherão!
E não amar é uma forma de sentir ao contrário... abnegar-se aos altos e baixos.
Talvez o mais difícil no amor seja exatamente continuar amando...
Pois o amor quando se dá em recíproca é maravilhoso, mas quando se dá num só coração; é choro contido.
Então, sem meias palavras, o que é isso senão uma forma de sentir!?
E não há tempo que apague, não distância que separe, não há feitiço que desfaça ou que faça acontecer.
Pois o amor entrelaça, atravessa gerações, perde-se e se acha.
Eis que o amor dispensa qualquer palavra, pois o que pulsa na alma é o que reluz no coração!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio