Perde-mo-nos

Perde-mo-nos nas agruras dos dias...
Nas viradas, agonias
Nas palavras que refreamos
Nos toques que não sentimos.
No amor que nunca damos.
Perdemo-nos em tantas idas e vindas
Em descompassos, em desalinhos
Em coisas sem nexo, nos desatinos.
Perde-mo-nos nas entrelinhas.
Nos momentos mais importantes da vida
Nos sucessos e fracassos...
Deixa-mo-nos. Abandonamo-nos.
Nos estreitos, nos degraus
Nos riscos e rabiscos
Na mão sem direção.
Nos olhos semi cerrados
No compasso do coração.
Perde-mo-nos por perder-se
Do sentido, do querer-se
No imbróglio do egoísmo
De a nada pertencer
Pertencendo sem sentir
Ao coração que faz doer
Perde-mo-nos e perdidos
Sofremos por perder

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...