Sana!

Verdes campos de minha terra...
Riachos e bambuzais...
Lindos pássaros dentro d'água
Como aqui, não tem jamais!



Lindos são teus pastos
Com bois, vacas e cavalos
Numa doce alvorada
No entardecer da cavalgada...

__Senhora dos meus ideais!

__Oh, quão bela e faceira
A menina mais arteira
De toda a região.
Doce terra de minha vida
Aqui mora o meu coração!







Sana, terna Sana...
Donde vais que também vou
Enternecida por sua beleza
Tão singela natureza
Minha alma assim  ficou!

Doces águas, sempre frescas
Matas, cachoeiras e cascatas
Melodias para encantar
Mentes cansadas da lida
Numa estrofe mais bonita
A vida revigorar!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...