Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014

O Amor Adoece!

O amor adoece?
Sim, o amor adoece!
Adoece no tratamento, no esquecimento, quando se deixa de cuidar dele.
O amor adoece quando deixa de ser um elo importante entre duas pessoas que passam a cobrar um do outro, atenção, carinho, admiração, aceitação e devoção, sem perceber que ambos estão, cada vez mais distanciados.
Buscam a felicidade, tentando um mudar o outro, porque não se sentem mais aceitos do jeito que são, esquecendo-se que também estão agindo do mesmo modo.
E quando o amor está morrendo, ele faz com que as pessoas deixem de sentir prazer e que passem apenas a sentir obrigação de manter uma relação quase fantasiosa. Sem perceber, cada um busca um motivo para ficar ausente ou distanciado. Usam-se artifícios, desculpas e qualquer outra coisa que justifique a atitude pessoal de cada um dos amantes.
Instaura-se a falência da relação afetiva, que tende a desaparecer, como se a paixão, o amor e tudo mais, que foi alimento de duas almas, que se diziam gêmeas, não tivessem existido.
Não se e…

Amizade

Imagem
Ter amigos é fundamental ao ser humano.
Vale amigo de longa data, vale novos amigos!
O que importa é a amizade.
O carinho de um olhar atencioso
A mão amiga, na hora mais incerta
O ombro para consolar.
Ter um amigo é ter aconchego.
É poder contar com risos e silêncios
Pois nem sempre as palavras serão necessárias.
Um bom amigo é algo a ser preservado
De modo muito especial.
Poder compartilhar dias bons e ruins...
Vibrar com o sucesso do outro,
Sentir o pesar que o outro sente
Entender que a vida nos dá aquilo que damos à ela.
E amizade não se explica
Pode ser entre humanos
Pode ser entre animais
Amizade é amizade, um laço que não se rompe
Seja numa lambida, num canto mais afinado
Seja na cumplicidade de apenas ouvir
Uma amizade se reflete no abraço retribuído
Nas intermináveis horas de bate papo
De conversas fiadas
De lembranças de um dia...
Um amigo é como parte da gente
Sabe tudo a nosso respeito
E nem assim desiste de nós!
Ter um amigo é fundamental para a vida
Assim como respirar.
U…

Toda Forma de Sentir

Imagem
Vamos falar de dor...
Dos sorrisos que não refletem o que sangra a alma.
Dos olhares sem vida, perdidos... além do nada!

Aquilo que tortura o íntimo
Aquilo que ninguém vê
Nem consegue alcançar.

Quantos sofrem em silêncio?
Quantos deixam de sentir?
E sentimento é algo pungente
Algo que não dá pra mentir.

Vamos falar da morte
Àquela que vivemos calados
Nos suspiros sem explicação...

Falar do sofrimento que é estar sozinho
Mesmo diante de tantos!

Os sentidos que se perdem no infinito
As lágrimas que rolam sem motivo.

Toda dor machuca como espinho
Entranhado  na pele, incômodo.
Como condenação à tristeza.

É um sentimento que tortura...

Dor é pessoal, intransferível, sem distinção de pessoas.
Dor é dor e como tal deve ser vivida,
Mas também deve ser superada.

Toda forma de sentir
Só quem sabe é quem vive
Só quem sabe é quem sofreu!
Como tudo na vida, passa!
Como águas turbulentas...
Como nuvens carregadas!

A dor um dia vai
A dor um dia vem
Mas quem sente
Vive na alma
A dor que a dor contém!

Cyber Vingança

Queixas sobre a prática conhecida como “cyber vingança” ou “pornô de vingança” – o compartilhamento pela internet de fotos e vídeos íntimos com o propósito de causar humilhação da vítima – vêm sendo apresentadas com cada vez mais frequência aos tribunais brasileiros, conforme aponta a advogada consultora jurídica do Portal Compromisso e Atitude, Fernanda Matsuda.
O aumento numérico de casos denunciados e a gravidade a que podem chegar têm demandado respostas dos sistemas de Segurança e Justiça: em novembro de 2013 duas adolescentes, uma de Veranópolis (RS) e outra de Parnaíba (PI), cometeram suicídio após descobrirem que fotos e vídeos seus foram compartilhados.
A doutora em Psicologia Clínica e da Saúde pela Universidade de Santiago de Compostela e psicóloga forense aposentada Sonia Rovinski alerta que, dependendo do contexto ao qual a divulgação está ou será associada, os danos podem mesmo chegar a esse extremo.

“As causas, como por exemplo o ato de a pessoa colocar a foto da namorada …

Drogas e Você!

Quando alguém resolve usar drogas ou beber abusivamente está fazendo uma opção.
Continuar a usar drogas também é uma opção. Só que a cada dia a pessoa vai optar menos, pois o organismo também adoece e se acostuma à presença da droga.
Quando a pessoa não utiliza a substância, o organismo reage com irritabilidade, ansiedade, dores
musculares, entre outras sensações. O dependente acredita que o único alívio para esses sintomas é continuar o consumo.
Em função desse ciclo que vai se instalando, a doença cronifica e a pessoa vai abrindo mão das coisas que antes eram importantes para ela. Brigas familiares, desorganização financeira, queda do rendimento escolar ou da produtividade no trabalho... Tudo passa a girar em torno da droga. Neste ponto não há mais opção: o indivíduo não escolhe mais se vai ou não usar drogas, pois a doença, dependência química, tirou-lhe esta liberdade.
Droga, segundo a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), é qualquer
substância não produzida pelo organis…

Entenda a Violência Sexual

A violência sexual pode ocorrer de duas formas: pelo abuso sexual ou pela exploração sexual.
O abuso sexual é a utilização da sexualidade de uma criança ou adolescente para a prática de
qualquer ato de natureza sexual.
O abuso sexual é geralmente praticado por uma pessoa com quem a criança ou
adolescente possui uma relação de confiança, e que participa do seu convívio. Essa
violência pode se manifestar dentro do ambiente doméstico (intrafamiliar) ou fora
dele (extrafamiliar).

A exploração sexual
É a utilização de crianças e adolescentes para fins sexuais mediada por lucro, objetos de valor ou outros elementos de troca.
A exploração sexual ocorre de quatro formas: no contexto da prostituição, na pornografia, nas redes de tráfico e no turismo com motivação sexual.

Exploração sexual no contexto da
prostituição é o contexto mais comercial da exploração sexual, normalmente envolvendo rede de
aliciadores, agenciadores, facilitadores e demais pessoas que se beneficiam financeiramente da expl…

O Aborto na Legislação Brasileira

O Código Penal Brasileiro não pune os médicos que interrompem uma gravidez, quando a mulher corre risco de vida ou quando a mulher engravidou de um estupro.
A mulher grávida que corre risco de vida com a gestação, ou que engravidou de um estupro, não precisa procurar clínicas clandestinas. Ela tem o direito de ser atendida na rede pública hospitalar.
Aborto em caso de risco de vida da mulher
Em caso de risco de vida da mulher, o próprio médico pode solicitar uma junta médica para atestar a necessidade do aborto. A interrupção da gravidez será feita com toda segurança.
Neste tipo de interrupção de gravidez o médico não precisa do consentimento da gestante nem do consentimento do representante legal (em caso de menor ou doente mental).
Aborto em caso de estupro
Em caso de estupro, a mulher deve imediatamente registrar a ocorrência do crime em uma delegacia, de preferência Delegacia da Mulher, para que, além de registrar o crime para uma futura punição do estuprador, receber o Boletim de Ocor…

Deputada Estadual 65077

Imagem

A Mulher e o Novo Código Civil

No novo Código, as mulheres são vistas como cidadãs, sujeitas de direitos e deveres. Agora a mulher, ao casar não apenas “assume a condição de companheira, consorte e colaboradora do marido nos encargos de família, cumprindo-lhe velar pela direção material e moral desta” (art. 240 do Código de 1916), mas passa a exercer direitos e deveres baseados na comunhão plena de vida e na igualdade entre os cônjuges.
Na ortografia, deixamos de ser, em todo o texto, uma “sombra” do homem, ou seja, quando se falava a palavra “homem”, tínhamos que nos sentir incluídas na masculinidade que esta palavra encerra. O “homem” estava colocado como o representante da humanidade brasileira e com isto a “mulher” não necessitava usar sua voz já que possuía um representante legal, pré-estabelecido pela escrita.
Vários abusos foram excluídos. Mulher nenhuma tem mais que provar sua virgindade por ocasião do casamento, para não ser rejeitada e devolvida à sua família, como nos filmes italianos do início do século p…

Direitos Reprodutivos e Sexuais

O QUE SÃO DIREITOS REPRODUTIVOS?
• direito das pessoas de decidirem, de forma livre e responsável, se querem ou não ter filhos, quantos filhos desejam ter e em que momento de suas vidas querem tê-los.
• direito a informações, meios, métodos e técnicas para decidirem ter ou não ter filhos.
• direito de exercer a sexualidade e a reprodução, livre de discriminação, imposição e violência.
• direito da mulher que vive com AIDS de ter filhos.

 DIREITOS SEXUAIS

• Direito de viver e expressar livremente a sexualidade, sem violência, discriminações e
imposições, e com respeito pleno pelo corpo do(a) parceiro(a).
• Direito de escolher o(a) parceiro(a) sexual.
• Direito de viver plenamente a sexualidade, sem medo, vergonha, culpa e falsas crenças.
• Direito de viver a sexualidade independentemente de estado civil, idade ou
condição física.
• Direito de escolher se quer ou não quer ter relação sexual.
• Direito de expressar livremente sua orientação sexual, quer seja heterossexual,
homossexual ou…

O que é Medida Protetiva de Urgência?

É uma determinação do juiz para proteger a mulher vítima de violência doméstica, familiar
ou na relação de afeto, de acordo com a necessidade da vítima.
Ao dar queixa, na delegacia, a mulher pode pedir as medidas de proteção previstas na
Lei Maria da Penha. Se a mulher pedir proteção, o delegado deverá pedir ao juiz que determine, conforme ocaso, o seguinte:

• proibição ou restrição do uso de armas por parte do agressor;
• afastamento do agressor da casa, sem que, por isso, a mulher perca os seus direitos;
• proibição do agressor de se aproximar da ofendida;
• restrição ou suspensão de visitas aos dependentes menores;
• prestação de alimentos provisórios;
• restituição de bens indevidamente subtraídos pelo agressor à ofendida;
• proibição para vender ou alugar o imóvel da família sem autorização judicial; e
• depósito do valor correspondente aos danos causados pelo agressor.

Tipos de Crimes

Se alguém, por palavras gestos ou por escrito, amedrontou você prometendo
fazer um mal injusto e grave, você foi vítima de um crime de ameaça.
Se alguém a obrigou a ter contato íntimo contra sua vontade, sem ter completado
uma relação sexual, você foi vítima de um crime de atentado violento ao pudor.
Se alguém a acusou de um crime que não cometeu, você foi vítima de uma calúnia.
Se alguém destruiu, suprimiu ou ocultou, em beneficio próprio ou de outrem,
documento público ou particular verdadeiro, prejudicando-a, você foi vítima de um
crime de destruição de documentos.
Se alguém disse algo contra sua honra, na presença de uma ou mais pessoas, você foi vítima de um crime de difamação.
Se alguém a obrigou a ter relações sexuais contra sua vontade, você foi vítima de um crime de estupro.
• Estupro é caracterizado pela relação sexual entre um homem e uma mulher em que há penetração vaginal, acompanhada por outros atos, mas sempre praticada com o uso da força, ameaça ou intimidação.
• Se a …

Dados Da Violência

A cada 15 segundos, uma mulher é agredida no Brasil.
O Brasil é um dos países que mais sofre com a violência doméstica: 23% das mulheres brasileiras estão sujeitas a esse tipo de violência.
Pelo menos uma em cada três mulheres ao redor do mundo sofre algum tipo de violência durante sua vida.
A violência doméstica é a principal causa de morte e deficiência entre mulheres de 16 a 44 anos de idade e mata mais do que câncer e acidentes de trânsito.
Cerca de 70% das vítimas de assassinato do sexo feminino foram mortas por seus maridos ou companheiros.
A violência contra a mulher atinge indistintamente mulheres de todas as classes sociais, raças e etnias, religiões e culturas.
A violência contra a mulher produz consequências emocionais devastadoras, muitas vezes irreparáveis, e impactos graves sobre a saúde mental sexual e reprodutiva da mulher.
Mais de 40% das ações violentas resultam em lesões corporais graves decorrentes de socos, tapas, chutes, amarramentos, queimaduras, espancamentos e…

Sou Negro, Sim!

O racismo é a discriminação social que tem por base um conjunto de julgamentos pré-concebidos que avaliam as pessoas de acordo com suas características físicas, em especial a cor da pele. Baseada na preconceituosa idéia de superioridade de certas etnias, tal forma de segregação está impregnada na sociedade brasileira e acontece nas mais diversas situações.
A discriminação racista é considerada crime pela Constituição Federal que apresenta diversas formas de punição para estes casos. Posto que o crime representa o ódio ou aversão a todo um grupo, o racismo é um delito de ordem coletiva, que ataca não somente a vítima, mas todo o ideal de dignidade humana.
O racismo pode estar presente em qualquer tipo de ambiente: no trabalho, na rua ou até mesmo em meio a pessoas próximas. Por isso, torna-se importante salientar que todas as formas de ocorrência do preconceito devem ser notificadas, sejam elas nítidas ou discretas. Além de ser um direito, é dever de todo cidadão denunciar esse tipo de …

Inquietações!

Imagem
O que é certo e o que é errado?
Pode-se exigir isto ou aquilo de alguém? Quantas idas e vindas termos que ter no caminho, até que se acerte o passo? São tantas as inquietações... Quem é verdadeiramente amigo? Estamos todos perdidos? Somos os únicos seres ditos "inteligentes" no Universo? Ou seríamos meros fantoches? Nunca sei tantas respostas quanto sei tantas perguntas. Eis que a vida traça rumos nem sempre de fácil compreensão As vezes seguimos em frente e damos na mesma direção que antes... As vezes ficamos parados e eis que surge a solução! Viver não tem fórmula! Viver é simplesmente errar e acertar a cada dia. Não adianta ter pressa,  Não adianta querer pular etapas Pois de uma forma ou de outra passaremos por tudo que nos cabe passar! E talvez o grande aprendizado da vida seja este... Um dia de cada vez! Um passo diante do outro. Sem grandes avalanches. Mas somos seres compreendidos de intempestividades Queremos tudo a curto prazo. Talvez se observássemos mais... Talvez…