Drogas e Você!

Quando alguém resolve usar drogas ou beber abusivamente está fazendo uma opção.
Continuar a usar drogas também é uma opção. Só que a cada dia a pessoa vai optar menos, pois o organismo também adoece e se acostuma à presença da droga.
Quando a pessoa não utiliza a substância, o organismo reage com irritabilidade, ansiedade, dores
musculares, entre outras sensações. O dependente acredita que o único alívio para esses sintomas é continuar o consumo.
Em função desse ciclo que vai se instalando, a doença cronifica e a pessoa vai abrindo mão das coisas que antes eram importantes para ela. Brigas familiares, desorganização financeira, queda do rendimento escolar ou da produtividade no trabalho... Tudo passa a girar em torno da droga. Neste ponto não há mais opção: o indivíduo não escolhe mais se vai ou não usar drogas, pois a doença, dependência química, tirou-lhe esta liberdade.
Droga, segundo a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), é qualquer
substância não produzida pelo organismo que tem a propriedade de atuar sobre um ou
mais de seus sistemas, produzindo alterações em seu funcionamento. Ou seja, é toda substância que, em contato com o organismo, modifica suas funções.
Cada pessoa tem uma pré-disposição diferente ao abuso e à dependência de drogas,
as quais agem de forma peculiar a sua personalidade, ao momento atual, à história de vida, às expectativas quanto ao uso, à quantidade e à frequência usada.
Níveis de Consumo
Segundo a Organização Mundial da Saúde, a definição da toxicomania
corresponde a quatro elementos: uma compulsão de consumir o produto; uma
tendência para aumentar as doses; uma dependência psicológica e/ou física;
consequências nefastas sobre a vida cotidiana (emotivas, sociais, econômicas).
Níveis de Consumo
Uso Experimental: quando o indivíduo, especialmente por curiosidade, experimenta
uma substância, mas não repete o uso.
Uso Nocivo / Abuso: quando o indivíduo repete o uso em determinadas ocasiões
ou com determinados grupos. Alguns prejuízos desse uso são perceptíveis, mas o indivíduo acredita que mantém o controle sobre a substância. Na questão do álcool, especialmente, pode-se ter
o consumo diário sem que o indivíduo fique alcoolizado, mas na falta dele há irritabilidade, agressividade, entre outros comportamentos.
Dependência: dependência é uma relação alterada entre um indivíduo e o modo de consumir uma substância. É o impulso que leva a pessoa a usar uma droga de forma contínua (sempre) ou periódica (frequentemente) para obter prazer. O dependente caracteriza-se por não conseguir controlar o consumo de drogas, agindo de forma impulsiva e repetitiva.
A busca pela droga passa a ter mais importância que outras atividades e aspectos da
vida.Segundo a Organização Mundial da Saúde, a definição da toxicomania corresponde a quatro elementos: uma compulsão de consumir o produto; uma tendência para aumentar as doses; uma dependência psicológica e/ou física; consequências nefastas sobre a vida cotidiana (emotivas, sociais, econômicas).
Tolerância
É a adaptação do organismo a determinada substância: quanto mais o indivíduo
utiliza a substância química, maior será a necessidade de aumentar a dose para produzir
o mesmo efeito).
Síndrome de Abstinência
Conjunto de sinais e sintomas que caracterizam o período de privação vivido pelo
dependente químico.
Os estudos acerca das substâncias psicoativas, bem como a criatividade e a rapidez
com que as drogas são (re)inventadas surpreendem-nos a cada dia. Veja abaixo algumas
das substâncias mais consumidas atualmente:
ÁLCOOL: apesar de, muitas vezes, não ser visto com a devida preocupação,
sabemos que ele é motivador para o uso de outras substâncias, bem como é responsável por inúmeras formas de violência vivenciadas pela sociedade atual.

Tabaco, anfetaminas, barbitúricos, solventes: - Thinner, cola de sapateiro,
éter, loló, verniz, gasolina, etc, maconha, haxixe, cânhamo, cocaína, crack, merla, ecstasy, são algumas drogas existentes hoje.
Estudos apontam maior incidência do consumo de álcool, seguido da nicotina que, junto com os medicamentos, alcançou o segundo lugar. Conforme pesquisas, o álcool ocupa um lugar privilegiado nas reuniões familiares e nos encontros com os amigos, tornando-se um grave problema de saúde coletiva. O abuso do álcool é o disparador para desenvolver a dependência.
Prevenção refere-se a toda iniciativa coletiva visando à sobrevivência da espécie. Diante das necessidades da sociedade, dos problemas apresentados, o conceito de 
prevenção ampliou-se a ponto de colocar-se dentro do conceito de “Promoção de Saúde”
Promoção de Saúde é o processo de capacitação da comunidade para atuar na 
melhoria de sua qualidade de vida e saúde.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio