Campanha.

Concorrer à um cargo eletivo não é fácil.
Aceitei o desafio por utopia, por acreditar que é possível fazer diferente.
Estamos agora na reta final para o dia cinco de outubro...
Fico pensando em tudo que se deu até aqui!
Tantos caminhos foram feitos, pessoas que conheci, lugares onde andei...
Muitas incertezas, muitas dificuldades.
Em cada pessoa, uma história; muitas delas parecidas!
O cansaço da árdua rotina,
A esperança a cada vez que alguém aderia à campanha...
Sol, chuva, dias bos e ruins...
Decepções! Frustrações...
A luta para conquistar a confiança do eleitor...
Explicar que defendo políticas preventivas...
Entender as  necessidades das pessoas.
Ser hostilizada duramente por ter um nome famoso...
Ser recebida carinhosamente por quem nunca me viu...
Contradições e surpresas da vida!
Frio e calor, estradas, poeira e pensamentos que se avolumaram e se extinguiram.
Saudade dos filhos... rápidas conversas com amigos.
Lidar com a certeza do coração sabendo da incerteza das urnas!
Não é fácil!
Houve dias de coragem, houve dias de tristezas, houve dias de perdas!
Minha campanha não teve holofotes, nem placas, nem jingle, nem equipes, nada.
Foi e tem sido na marra! Na vontade de vencer!
Uma campanha onde amigos distantes se engajaram...
Numa demonstração de confiança e amizade, ímpar.
Uma campanha de corpo a corpo... olhos nos olhos, verdades!
A cada dia um sopro de determinação e fé.
Houve risos e lágrimas... idas e vindas, abraços e despedidas!
E nesta reta final, ainda há um coração confiante
Pois mesmo indo contra todas as estatísticas humanas
Acredito no improvável!
A minha luta é de todos... não é causa única.
Um livro está sendo escrito para relatar esta experiência
Onde muitos serão retratados nas páginas
Mas que desde já estão gravados na minh'alma!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...