O Que Sou!

Sou visceral! Fato!
Vivo tudo com intensidade
Seja amor, seja ódio, verdades!
Não meço isto ou aquilo
Vivo o doce e o amargo
Quase que no mesmo instante!
Sou de atitudes, rompantes...
Sou extremos!
Sou densa, elétrica
Sou íntima, quieta
Quase louca, mulher, poeta
Não sei o que sou
Mas sei que vivo
Cada instante como o último
E o primeiro dos dias!
Loucuras à parte
Sou verdadeira, sem hipocrisias
Autêntica, cruel
Sinto dores e dissabores
Como se fossem favos de mel!
Desnudo tudo
Desfaço-me...
Sou vida e sou luto
Luz e escuridão
Pouco de muito
Fé, lágrima, solidão.
Sou!
Pedaços de histórias
Lembranças já perdidas
Palavras nunca ditas
Num emaranhado de dúvidas e certezas
Sou quase incógnita
Não fossem as reticências!
Não há como decifrar
Não há como definir
Pois, sou meio, metade de mim!
Falo coisas, penso outras
Ajo, refugio-me!
Entrego-me e retiro-me...
Num indecifrável rito
Onde tudo se confunde
Onde tudo se explica
Mas o que realmente fica
É o que sou de mim!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...