Cigana


Não sei dizer o feitiço que é
Não sei decifrar.
Hipnose é mais sensato dizer
O que sinto quando admiro você!

Mulher de enigmas
De sorriso encantador
Dança tão divina
Que me enche de amor.

Ouço os tambores
Ouço a música
Contemplo a dança
Embriago-me!


Passos perfeitos
Lenços, facas, fogo, taças!
E a serpente a envolver-lhe o corpo
Tão íntima, tão linda, tão única!

Cigana de encantos
Cigana!

Contemplo a sua graça
Envolto numa névoa mágica
Onde tudo é só você!

Leia a minha mão...
Jogue as suas cartas!
Dance entre luzes...
Pés descalços... castanholas!
Movimentos delicados
Ou não!

Não sei definir
Não sei o que falar
Incensos pelo ar...
Perco-me na sua saia
Na embriaguez do seu perfume


E rodopia. Rodopia...
Frenética, absoluta!
Senhora de si
Encanta a lua...
Mulher misteriosa
Doce, firme, maravilhosa!

Sussurro o seu nome
Incansável em admirá-la
Esmeralda... Esmeralda!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...