Chuva...

Chovia forte por lá...
Chovia tanto que ninguém passava
E eu , ali... a cantar!
Sentia os pingos da chuva
Ouvia o ruído no ar!
Não importando a intensidade da chuva
Tudo que eu queria era amar.

Chovia, chovia, chovia...
Como nunca choveu por lá
Num canto do mundo, num dia
O céu teimava chorar!

Chuva de dor, chuva de amor
Chuva de saudade, adeus felicidade!
Chuva de alegria, chuva de sem cor...
Chuva de dias, de ventanias, de perversidade...

E era tanta chuva... que era um mar...
Entre águas, a melodia
De cantar minha agonia
Para o mundo extravasar.

Chorava o universo
Neste meio de vida complexo
Chorava sem cessar...
A dor de outros,
A dor de todos
A minha dor...
E de quantos loucos
Ousaram amar!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...