Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Bolhas de Sabão...

Imagem
Não deposite os seus sonhos em bolhas de sabão,
__ Pois elas não sobrevivem ao piscar dos olhos...
Não deposite os seus sonhos em castelos de areia,
__ Pois eles não resistem as tempestades...
Não deposite os seus sonhos em nuvens no céu,
__ Pois eis que são passageiras...
Não deposite os seus sonhos em pessoas,
__ Elas são falhas...
Não deposite os seus sonhos em arco-íris,
__ Pois eles não permanecem...
Não deposite os seus sonhos em promessas,
__ Elas podem não se cumprir
Não deposite os seus sonhos em frações,
__ Pois tudo é melhor quando é inteiro
Deposite os seus sonhos em estratégias,
__ Quase sempre funcionam
Deposite os seus sonhos em resistência,
__ Pois galgar espaço requer enfrentamento.
Deposite os seus sonhos primeiro em si mesmo
Acredite que cada vírgula seja apenas uma pausa.
Aprecie a liberdade de sonhar sem pressa.
Não acredite nos sonhos dos outros,
__ Não são os seus!
Acredite nas suas possibilidades.
Não deposite os seus sonhos em atalhos,
__ Quase sempre são duvi…

Sobre Saudade

Imagem
Saudade nada mais é do que presença constante daquilo que um dia se fez! E que por algum motivo não fazemos mais...  Deixamos de viver tantas coisas. Não pulamos mais "amarelinhas"... Não contamos nuvens e não lhe damos nomes Não sabemos mais o gosto que tem a chuva Não admiramos o perfume da terra molhada. Não. Não sabemos mais o que isto significa, então; resta-nos a saudade! A saudade de dias de inocência, corrompida por anos de uma maturidade que nos trás tantas responsabilidades que, sufoca. Esquecemos as aventuras de subir em árvores... Colher um fruto do pé Tomar banho pelado num rio Caminhar descalço, com a alma desnuda. Perdemos o frescor da juventude e a delicadeza das coisas. Endurecemos o pensamento e também o coração. Criamos a crítica, endossamos o politicamente correto, mofamos. Não construímos castelos na areia,  Não vivemos o tempo que temos... E ampliamos tantas tristezas que, enrugamos. Se pudéssemos um dia desfazer-mo-nos de todas as armaduras E por um mo…

Amor ou dependência?

Imagem
É fato: nenhum relacionamento é perfeito 24 horas por dia, 365 dias por ano. Todo mundo tem seus momentos de estresse, de saco cheio e intolerância aos defeitos do outro. Conviver com outra pessoa não é fácil, mas, quando existe amor, tudo isso não tem a menor importância. O problema começa quando esse amor vira dependência. Claro que é muito confortável viver com uma pessoa que a gente já conhece e que nos conhece até pelo lado avesso, não é? Mesmo que a relação não seja lá um modelo de perfeição. Por isso, para algumas pessoas, declarar independência após o final do relacionamento pode ser pra lá de complicado.
Cá entre nós, não há como negar que em todo final de romance sempre resta uma pontinha de esperança. Não dá para apagar de vez da memória todos os bons momentos vividos juntos. E são eles que ficam na cabeça de quem não consegue engolir uma separação.
Não há como negar que, com o passar do tempo, os relacionamentos vão tomando formas diversas. Há aqueles que nem começam super-…

Mulheres Que Amam Demais

As mulheres que amam demais têm como característica principal, o vazio, porque provavelmente, não tiveram olhar significativo quando crianças de suas mães. Elas buscam no outro este olhar, sendo que a projeção de seu amor é intensa e desequilibrada; causando no outro, o que mais temem, que é a rejeição e o abandono. Elas tendem a atrair homens iguais a ela, já que o que está fora, ou seja, o que atraímos, está também dentro de nós. Os seus parceiros, geralmente, são homens com baixa autoestima, que precisam do olhar do outro para existir, atraindo mulheres ciumentas ou histéricas, para afirmar sua “condição existencial”.
O comportamento se manifesta principalmente nas relações afetivas, independentemente do grau de instrução da pessoa, levando ao cometimento de atitudes exageradas de reconhecimento do outro (atenção demasiada, fazer mais do que lhe cabe). Quando não há reciprocidade, a desconfiança, a insegurança e o medo se instalam e dominam, a ponto do esquecimento de si. Quando se …

Um Filho Amado

Imagem
A dor e a delícia de uma jornada, só sabe quem vive...
O livro CARA DE LEÃO me ensinou tantas coisas... com ele, chorei, sorri, tive crises e sonhei alto!
Foram momentos inesquecíveis, de muitas lutas, muitas noites insones, muitos novos tropeços, amigos e inimigos pelo caminho. Muitos "Nãos"!
Foram dias complicados, tensos; mas que trouxeram também muitas alegrias.
Fui ao céu e ao inferno pelo sonho de me tornar uma escritora... por simplesmente acreditar que era possível realizar um sonho.
Ganhei o mundo nas asas da imaginação, fui premiada, fui criticada... mas sobrevivi.
Entre idas e vindas, decepções e armadilhas, encontrei reconhecimento e rejeição.
Mas no ínterim disso tudo, encontrei pessoas incríveis, que acreditaram que daria certo e que me deram as mãos para juntos trilharmos o árduo caminho.
Numa sociedade hipócrita, onde é preferível fingir que as coisas ruins somente acontecem no quintal do vizinho, eu estava infringindo as regras, ao tratar de violência à mulh…

Incógnita!

Imagem
Rasgo-me em traços rabiscados num pedaço de papel
Folhas e folhas em branco, cheias de sombras do que um dia eu fui
Metade de sonho, desespero e desencontros,
Feridas antes saradas e que hoje tornam a sangrar!
Seria fácil e cômico se não fosse tudo tenso...
Entre lápis, canetas e giz... entre mundos, entre fundos...
Num girar constante de mim.
Vão dar nomes, rótulos e críticas
Vão achar que podem dizer o que quiserem, e podem!
Pois não sou versada nas palavras alheias, não!
Sou eu, sou tudo o que eu quiser e puder ser.
Vivo de cada letra que consigo formar em frases...
Não me chamem de poeta, não me chamem de nada.
Deixem-me ser apenas o que ainda não tenho como classificar.
Esqueçam os esteriótipos arcaicos e que tanto segregam a todos...
Descubram-me aos poucos... bem devagar...
Vão bebendo de mim em minúsculas e consoantes
Deixando que o veneno penetre bem as entranhas.
Eu perco a razão, mas nunca os sentimentos
Sou visceral, reconheço.
Sangro nas linhas como quem sofre ardentemente…

Jornal Sem Fronteiras, Uma História de Sucesso

Imagem
O Jornal Sem Fronteiras comemorou seu aniversário de 2 anos em Veneza, na Itália, com a presença de vários Colunistas, Representantes Internacionais, Parceiros e Apoiadores.  O evento fez parte da programação cultural da A.C.I.MA. - Associação Cultural Internacional Mandala, que lançou na ocasião, na importante Biblioteca Marciana, a "Antologia Navegantes" .  A ACIMA, na pessoa de Sonia Miquelin (que além de ser Vice-presidente da entidade, é também Representante Internacional do Jornal Sem Fronteiras na Itália), foi a anfitriã da publicação na ocasião.  Além da participação em diversos encontros culturais e sociais, o jornal realizou uma cerimônia de premiação, seguida de jantar de gala com o tema: Baile de Máscaras, no badalado Hotel Danieli, o mais famoso de Veneza. Durante a cerimônia de Premiação, foram entregues homenagens, entre placas e troféus, aos Colunistas da publicação, Representantes Internacionais, Parceiros e Apoiadores. Na oportunidade foram entregues também os …

E Quem Entenderá?

E quando não nos encontramos na multidão?
E quando os silêncios são tão barulhentos que não podemos suportar?
É como uma fagulha num incêndio, onde tudo se confunde em fumaça, perdendo a orientação.
São tantos rostos sem identidade, tantas pessoas que nunca saberemos as histórias... fracos e fortes, ricos e pobres, homens e mulheres num só espaço.
E é como se não fizéssemos parte de nada.
Paredes nuas, espaços crus...
E as vezes um rabisco diz tanto que parece um amigo íntimo que tudo sabe e tudo vê.
Palavras engasgadas, gritos que não ecoam, solidão, solitário, só!
Não há com quem trocar farpas, experiências, conversas, risadas.
O som da própria voz soa estranho.
Uma enxurrada de sentimentos tomam conta... saudade, tristeza, vontades infinitas de repetir tudo o que foi bom...
E a constante presença de ausências antes nunca sentidas, vão ficando dentro de nós.
E entre tantas idas e vindas, ninguém se conhece.
Frases soltas aqui e ali, fraguimentos de vidas, ignoradas
Minha própria his…

Ao Seu Lado...

Imagem
O melhor de todos os prêmios... estar ao seu lado. O mais lindo de todos os sorrisos... o que desabrocha nos seus lábios. O abraço mais esperado... o enlace dos seus braços! A mais linda viagem... todas que fizemos.
O almoço mais saboroso... aquele que compartilhamos. Os sonhos mais fantásticos... aqueles que sonhamos. O gosto mais inesquecível... o sabor da sua boca. O toque mais especial... o toque das suas mãos. A melhor das sensações... perder-me nos seus olhos. A história mais incrível... a nossa!
Os melhores passos... os que demos na mesma direção. Dias especiais... foram vividos ao seu lado As melhores lembranças... as que temos juntos. Liberdade... prender-me por vontade.
Os mais doces beijos... os que provei dos seus lábios. A mais lindas canções... as que ouvimos em silêncio. Os planos para o futuro... os que fizemos um dia. A pessoa ideal... ah... encontrei ao meu perder... E não há outra pessoa, outro ser...  Esse alguém é... você!

Abandone a Vitimização!

A mentalidade de vítima é um modelo auto-destrutivo que contribui para um estilo de pensamento negativo, desculpabilizante e atitudes auto-derrotistas inconscientes. A mentalidade de vítima faz com que você pense que não pode e/ou não consegue fazer as mudanças na sua vida que deseja fazer por causa dos outros, por razões que não se podem definir convenientemente, e misteriosamente “colocam-no fora das coisas”. Você sente que a vida é injusta, que você tem justificações para não ser bem sucedido e que a sorte nunca lhe bate à porta, prejudicando-o nas várias áreas da sua vida.
Para alguns, a mentalidade de vítima faz com que sintam que algum tipo de “intervenção divina” ocorre continuamente nas suas vidas contribuindo para um sentimento de fracasso, mesmo que eles estejam fazendo a coisa certa. Essas pessoas podem dizer coisas negativas como:

“Deus me odeia.” ou “Tudo está contra mim” ou “Só a mim me acontecem estas coisas terríveis” ou “Ninguém gosta de mim”.
Algumas pessoas podem ain…

Devaneio...

Vida, foco, miragem...
Olhos tortos...  Desfoco, bobagem Perto ou longe, sem rumo.
Dias, noites, sem lua Vazio, frio, no prumo
Dores, amores, profano Cruel, amargo, humano!
Costuras, fissuras,  Medos, dramas, chamas... Frescuras... Loucuras
Ruas, vielas, favelas Pontes, escadas,  Portas e janelas... Morte, choros e velas.
Rima,  sem rimas, poemas Vidas despersas, problemas. Infinito... Tão finito quanto as eras!

Enterro....

Imagem
Não tenho arrependimento do bem que fiz, não. Nem poderia,  pois dar de si mesmo é uma dádiva.
Mas arrependo-me das vezes em que fechei os olhos, ceguei a alma, tranquei os ouvidos e permiti que me ferisse.
Carreguei lágrimas nunca derramadas, soluços contidos, palavras engasgadas... Pela ilusão de pensar que assim teria amor.
Fui conivente com a dor,  até que ela gritou de forma que não houvesse mais como esconder.
Abriu tantas feridas...
Mesmo assim não me arrependo.
Dei o meu melhor, fiz o que pude, errei e acertei como qualquer ser humano.
Hoje vejo tudo sem máscaras...
Percebo os detalhes que deixava passar por temer a perda.
Mas como se perde aquilo que na verdade nunca existiu?
Se não há interesse sempre sobrarão desculpas.
Os fatos sempre disseram aquilo que os olhos sempre se negaram enxergar.
Mas o bem que fiz e o amor que eu dei, foram íntegros e por isso não os reivindico.
Enterro aqui o afeto, ficando sim, com algumas lembranças, mas conscienciosamente de que os que não s…

Nada de Ti...

Imagem
Eis que não sei onde moras, não sei onde..
Não sei quase nada de ti. Somos como duas estranhas, Mesmo tendo saído de mim.

Nada sei, nada conheço
Daquela que um dia beijei
Hoje sequer reconheço.
O afeto que sempre doei!

Sem palavras, sem conversas
Pouco ou quase nada
De frases sempre desconexas

Laços de constrangimento
Sem liga, sem afeto

Não sei onde moras...
Não sei o que dizer
Quando a alma clama e chora
Um momento de prazer.

Não iremos trocar abraços
Poucos beijos de ti ganhei
Vejo desfeitos os laços
Em pequenos embaraços
Num instante em que cheguei.
Não entendo tanta distância
Se o que eu desejo, sempre te dei
O amor que hoje me negas
É o mesmo que sempre te amei.