Abandono

Sento-me na varanda...
Entre muitos sons, busco o som do teu riso
Onde escuto nada além de sons desconhecidos.

Vejo tanta gente passando,
Ninguém me olhando
Num dia após o outro, sem fim.
O abandono de mim...

Sem abraços apertados,
Sem visitas, sem notícias
Tudo somente nas lembranças
Do tempo em que eras criança...

Dias que passam sem cor
__ Destituído de amor!
Perdido de tanta saudade
Num embaraço de dor
Eis a mais pura verdade
A vida perdeu o sabor...

Ouço vozes tão distantes
Nem sei mais se aqui pertenço
Nada mais é como antes
Tudo é desalento...

Fostes embora pra bem longe
Dizendo que aqui voltarias
Nunca mais aqui viestes
Nunca mais a mim, verias!

Abandono é um nome
Muito duro de dizer
Quando de um gesto tenho fome
De a ti poder rever!

Hoje mais um dia...
Amanhã quem sabe vem...
__ O filho que eu tanto queria
Um dia querer meu bem!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...