Entrelinhas...

Tantas coisas falamos sem dizer palavras
Nas entrelinhas de olhares, nos suspiros consternados...
Prolongamos reticências e entre aspas vamos divagando.
Perdemos o sentido das frases, erramos nos adjetivos
E entre substantivos, vamos maquiando  as dores.
Os desgostos tão doloridos, os desapegos sem motivos!
Escrevemos textos redundantes, por querer dizer sempre as mesmas coisas.
Afundamos em versos e poemas, rimas e quebradas
Parágrafos inteiros de absolutamente nada!

Entrelinhas sangrentas de palavras nunca ditas
Tão claras e tão sutis...
Evoluímos nas lágrimas, em estrofes bem cantadas
Por um alguém tão igual
Que seria até sensato dizer que
Na dor e por amor são irmãos!
Tantas palavras, tantos silêncios gritantes
Ricos em detalhes de tanto sentir...
Entrelinhas de vida, chegadas e partidas
No verso da rima, a despedida
No verso do mundo, o dom de sorrir!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio