O outro...

Viver é uma arte e conviver é um desafio!
Você quer suco de uva, o outro de abacaxi.
Você quer sexo, o outro; apenas dormir!
Nunca haverá consenso numa relação onde o amor é cobrado. Onde sexo é discussão...
O amor é um laço, um encontro. Não pode ser algo negociado, sendo ele sentimento.
O que não tem liga não dá paz...
Você vive de angústias e expectativas que são só suas.
Cria fantasias onde tudo é perfeito, mesmo tendo a vista uma outra realidade.
Não culpe o outro por sua inapetência!
Vive de relações conflituosas acreditando tratar-se de amor o que na verdade é tão somente, obsessão! Não é feliz e não faz ninguém feliz!
Quer do outro aquilo que você deveras sente, mas não consegue alcançar o outro em si!
É como ter areia escorrendo entre as mãos...
Cada vez um pouco mais... lentamente!
Perde a cada dia, por seu egoísmo, sua expectativa!
Coloca no outro aquilo que desejas, não compreendendo que o outro também se ressente.
Ninguém pode viver por você os seus sonhos, os seus anseios. O outro é apenas o outro.
Todo e qualquer relacionamento deve ser baseado no princípio da individualidade, onde cada um tem o seu querer, a sua forma de viver e encarar a vida.
Não somos a extensão de ninguém. Por isso corta-se o cordão umbilical, para que sejamos únicos e possamos agir de acordo com aquilo que somos.
O outro é nada mais que companheiro, podendo ou não seguir contigo. Querendo ou não as mesmas coisas.
Colocar as suas carências nas mãos do outro é suicidar-se por homicídio...
No fim, fica a sensação de obrigação, responsabilidade, culpa, peso, fardo. Até que não mais se consegue olhar para o outro com os mesmos olhos de antes.
E todas as qualidades se desfazem em defeitos horrendos que queremos banir.
Aos poucos vamos percebendo que aquele ser encantado nada mais é do que alguém comum na multidão.
O que amamos ou imaginamos amar era fictício, ilusão. Mas não foi o outro quem criou, fomos nós!
E no emaranhado de questionamentos que nos fazemos e que ficamos sem respostas a única solução é seguir sozinho!
Pois o outro é somente aquilo que a nossa imaginação criou...
Portanto, aprenda que amar é antes de mais nada respeitar o outro sem projetar nele aquilo que a sua consciência quer. Ame sem cobranças, ame sem expectativas, ame por simplesmente amar!
Pois o amor nada exige.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio