Por ai.

Ando sem bagagens no momento.
Descalça, sem direção.
Livre de amarras e ao sabor do vento
Rindo ou chorando, buscando contento
Vou aos poucos, sem intentos!

Ando por ai, aqui e acolá
Vou sozinha a qualquer lugar
Sem pressa de ir ou voltar.

Vou assim, desprendida
Encantada com a vida
Sem a nada pertencer
Pois da vida nada se leva
Senão o bom que é viver!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio