Entre Passos

Ando em pequenas passadas
Meio que embriagado, de tudo e de nada
Num marasmo ensurdecedor!
Entre ânsias e desgostos,
Num desespero de amor...

Ando por ai, sem destino
Num constante desatino
De ir e vir sem nada saber
Nos delírios do destino
Onde o homem vira menino
Engasgado por sofrer.

Ando desnudo, desavergonhado
Sentindo na pele o pecado
De ser quem realmente sou
Um ser por vezes enganado
Ferido, sofrido, humilhado
Por quem um dia tanto amou.

Entre passos, descompassados
Entre laços, embaraçados
Num abraço de meros braços
Nos desencantos da dor...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...