Utopia.

Talvez eu continue utópica, não sei.
O fato é que continuo na luta contra a violência à mulher e contra a pedofilia por acreditar. Por muitas vezes pensei em desistir, não por dificuldade, mas pela sensação de estar "enxugando gelo"!
A triste constatação de novos e mais bizarros casos, onde mulheres perdem suas vidas e crianças são violadas e destituídas de sua inocência.
Isso sempre me impactou!
Acredito que sempre irá impactar.
Eu continuo por que acredito que de alguma forma o meu trabalho contribui para a conscientização e empoderamento das pessoas. Não me considero melhor ou pior que ninguém no que faço, mas também é fato que observo o quanto o simples se torna cada vez mais burocrático.
A engrenagem que deveria proteger, vez por outra acaba por vitimizar.
Vejo tantas questões sendo postas debaixo do tapete... tantas mulheres que poderiam estar na luta e que não se engajam, não acreditam que a causa seja delas também... é como se estivessem a parte do mundo. Não são mães, nem irmãs, nem avós ou tias... não são mulheres, se é que vocês me compreendem.
É algo que me entristece, mas também faz com que eu continue.
Sei que existem pessoas necessitadas de conhecimento e empoderamento, que precisam entender como e onde buscar ajudar. Sei que existem pessoas que assim como
eu; são engajadas e lutam por um mundo melhor e igualitário.
Que seja utópico, e daí? Foram os sonhadores que criaram o mundo de hoje!
Escrevo sobre violência, faço palestras sobre o assunto, não por apologia ao sofrimento feminino; mas como alerta.
Penso nas milhares de vítimas pelo mundo e penso que se eu parar também serei uma vítima... vítima da opressão de um sistema que nos conduz a pensar que é inútil fazer o bem!
Pois eu creio que não! Se o meu trabalho conseguir atingir uma única pessoa e ela conseguir dar a volta por cima, já terá valido a pena todo o meu esforço!
Sou parte daquilo que move os meus passos, meio utópica, meio cética, mas sou principalmente verdadeira naquilo que faço.
Hoje, no advento da extinção do Ministério das Mulheres e no alarde de um retrocesso nos direitos já adquiridos, sinto-me ainda mais forte e determinada a continuar!
A luta não é contra o homem, mas pelo homem! Pois sem mulheres, não há homens no mundo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...