Sobre a Morte...

A importância da vida está na morte. Assim os nossos olhos anelam os detalhes, as nuances que sempre estiveram presentes, mas que não notávamos.
As qualidades são exaltadas, o ser humano ganha quase que um status de santo!
Na verdade, começamos a valorizar o que foi embora... pra sempre, por um descuido qualquer, pois a morte não necessita senão de desculpas.
E quantas oportunidades perdemos nesta vida tão efêmera... quantas nulidades assumimos por orgulho... somos tolos! Sempre disse e vou continuar dizendo, somos tolos!
Passamos boa parte da vida empenhados em conquistas, realização de desejos, cobiças, rixas... não vivemos o que devíamos por mais tempo que alguém possa viver. Nunca será suficiente.
Não fomos feitos para aceitar a partida. Queremos um culpado... foi o rio, foi a correnteza, foi imprudência, foi o mar, foi isso, foi aquilo... foi...
E dizem que a morte nada mais é do que a volta para casa...
Mas desconhecemos o endereço e por isso desprezamos a viagem.
Acredito que seja na morte que aprendemos a olhar o outro sob a perspectiva das qualidades.
Enxergamos até o que nunca existiu...
A dor de quem fica é algo indescritível. A sensação é de incredulidade, um redemoinho de emoções contraditórias com lembranças e fragmentos de uma vida inteira que insistem em aparecer.
Com o tempo o que fica é a saudade. Aquele sentimento de que se tivesse a oportunidade tudo seria diferente...
A morte é a certeza de que somos todos passageiros desta Terra. com corpos que nos foram emprestados e que um dia desaparecerão.
Corpos que viram pó... não há mais beleza ou risos, choro ou palavras.
Todas as lutas e sonhos se vão!
A vida que se leva é o que resta de recordação aos que ficam.
Não há antídoto para a morte senão viver cada momento como se fosse o último, pois a senha está nas mãos de cada um que nasce, pois nascemos todos com prazo determinado.
Ninguém sabe o dia ou a hora da partida.
Estamos todos  com a passagem comprada... então, viva a sua vida de modo a ser o melhor que puder. Aprimore o seu espírito, pois nada temos senão a nós mesmos.
Nascemos acoplados a um cordão umbilical, vivemos em grupos, fazemos amigos, mas morremos sozinhos.
A morte é individual, intransferível e tem dia e hora para acontecer.
E nesta vida tão curta para uns e tão sem sentido para outros, acumulamos experiências e dores, tristezas e alegrias...
Mas de tudo isso, apenas uma certeza: Viver ainda é o melhor de tudo! E o pó que um dia seremos ainda é a nossa moradia, portanto sorria pra vida de modo a saber que tudo é um sonho...
E que ao acordar deste sonho possamos ter o melhor para contar!
Pois dizem que a morte é apenas um despertar...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...