Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

Não ser Obrigada...

Imagem
Ser assertivo é conseguir expressar sua posição a respeito de algo, sabendo não estar certo nem errado, apenas convicto de sua escolha.
Nós temos o direito de “não querer”. Não querer conversar, não querer ir, não querer ver ou fazer. O fato de alguém querer algo de nós não nos obriga a aceitar. É prepotente quem acha que pode insistir para que façamos algo ou mudemos nossa opinião por pressão ou obrigação.
Acho cruel obrigar e ser obrigado a qualquer coisa nessa vida – mesmo sabendo que passaremos por isso algumas vezes – e acho mais cruel ainda as relações nas quais não podemos dizer e nem agir de modo sincero e transparente. É egoísta quem quer ver sua vontade satisfeita, porque no fundo não está ligando a mínima para o outro, nem o respeitando como semelhante.Os tempos atuais pedem tolerância e espaço para que cada um tenha e expresse a sua opinião. É preciso respeito ao outro e ao seu modo de ver o mundo. Entretanto é preciso respeitar quando não pedem e nem se interessam pela noss…

Gaiola!

Imagem
Eu ando calada,
Diria que estou pensativa
Penso em nada
Penso em tudo da vida.

Ando anestesiada
Pelas dores, nunca antes sentidas
Ando calada, ando contida.

Tenho pensado em quase nada
Por sentir mais que deveria
Tenho a alma desencantada
Perdi parte de minha alegria.

Ando engaiolada
Numa redoma, oprimida
Onde o choro, nos olhos; resvala
A tristeza que sinto na vida.

Tristeza que não me abandona
Vai me abraçando, assim
Nos dias de chuva, chorosa
Nos dias de sol, por fim!

Ando calada, entocada em gaiolas
Pequenas caixas, por dentro assim...
Num sopro de riso, esmolas
Do que fui, do que sou, sem  mim!

Sobre ser Feliz!

Imagem
Sete bilhões de pessoas no mundo e nunca conheceremos sequer um milionésimo delas! Não saberemos suas histórias, seus sonhos, seus dramas, sucessos e fracassos... Nunca. Rostos desconhecidos num mundo globalizado, mas sem conexão de laços. Talvez sequer saibamos quem são os nossos vizinhos. Já não sabemos quem são os nossos parentes... Estamos vivendo uma Era estranha... uma Era em que vemos tudo, sabemos de tudo, mas não somos íntimos de ninguém. O mundo anda solitário! E tudo o que estes sete bilhões de pessoas desejam é ser feliz! A grande dificuldade está em encontrar uma forma de realizar esse desejo...  As vezes perdemos tanto tempo que a felicidade passa e a gente não vê, não sente. Tenho visto olhos acabrunhados, sorrisos amarelados, passos dados em falso. Talvez seja devido o consumismo humano que transfere o essencial para o supérfluo. E tudo fica tão descartável que não há tempo hábil para repor. Como um vício que precisa estar sempre saciado, para trazer alívio a dor. Vejo…

Monogâmico

Imagem
Quem dera ser um cisne e assim, navegar juntinho com você Entre os lagos...  Construir o nosso ninho, unir os bicos em afagos! Sendo fiel ao amor para sempre...
Quem dera ser como os lobos, fiéis e leais um ao outro Correndo livres... Numa alcateia de amor, só nós dois!
Ou quem sabe, como a águia-careca...  Voar bem alto ao teu lado No tempo do acasalamento, Unindo nossos corpos em casamento Num único voo, apaixonado...
Monogâmico, sim monogâmico Como baratas, intrigantes... Embora repugnantes,  Ajuntam-se uma só vez!
O albatroz tão conhecido... Voa para longe é verdade Mas retorna ao parceiro, fiel e criativo Em sua dança de castidade No amor é verdadeiro Na vida é pássaro errante!
E como as araras que voam juntas E juntas são para toda a vida Quem dera ter você  Na monogamia de todos os meus dias!

Porto Seguro...

Imagem
Pega a estrada e vai além...
Além Paraíba, talvez
Norte ou Sul de Minas? Não sei
Vagueia por ai, entre as estradas
E me diz onde a manga é mais doce
Talvez se pegar madura no pé
Entre tantas pelo caminho...
Pode ser caída no chão
Ou vendida no baldinho
Liga o rádio do carro
Acelera mais um pouquinho,
Pois a estrada é sinuosa
Convidativa para um louco!
Traiçoeira para um soninho...

Pega a estrada outra vez...
Dirija de alma leve
Sentindo que a vida é breve!

Vai pelas curvas, ansiosa por chegar
Teófilo Otoni ou qualquer outro lugar...
Tantas cidades, tantas histórias
Coisas boas para lembrar
Teixeira de Freitas ou Eunápolis
O importante é alcançar.
Porto Seguro, sua linda
Em suas águas quero estar!

E chupa manga pela estrada
Vai correndo até a balsa
Para Belmonte conhecer
Sentir as águas cálidas de Candeias
E ver ali o entardecer!
Mas antes tem a Praia do Rio Preto
Com seus coqueiros perfilados
Numa estrada quase deserta
E cheia de buracos!

Vai ao longe com sorriso
Conhecer outros lugares

Saudade!

Imagem
Do que você sente saudade?
Eu sinto saudade do que não vivi
Dos abraços que não troquei
Dos sonhos que não sonhei
Dos beijos que não senti!

Eu sinto saudade dos dias que não verei
Das risadas que deixei de dar
Do mundo que não conheci
Dos dias que me deixei chorar!

Sinto saudade de mim
Da menina que eu fui
Da lembrança que não terei
Do muito que não tive
Dos amores que não amei!

Saudade... ah, saudade eu tenho sim
Dos anos encurtados
Por aceleração da velhice
Onde não mora mais o pecado
Por revelar-se a sandice
Onde todo dia é menos um dia
Até que chegue o fim!

Auto Estima

Imagem
Ponha um ponto final!
Destitua tudo aquilo que não te faz bem. Não protele, não permita  que o mal faça ninho.
Não deixe que o emaranhado de galhos se justifique criando raízes impenetráveis, até que você sufoque em solidão.
Não dependa de ninguém, senão de si mesmo!
Evacue os seus medos e dê a si mesmo o álibi da atitude.
Enfrente o dia e a noite com a mesma vontade.
Não será fácil, não será indolor, mas será algo que irá libertar a sua alma.
Viver não pode ser algo amargo.
Chore, chore muito, mas de felicidade, de prazer, de vida!
Faça com que o seu riso seja um riso espontâneo, como gargalhadas bem altas!
Não sorria por conveniência. Não diga que está tudo bem, se não está!
Não faça o outro feliz somente por não querer contrariar!
Exponha a sua agonia e se não aceitarem, esqueça!
Não eram dignos da sua dor, então não serão dignos da sua alegria!
Viva por inteiro, faça o que tiver vontade, faça sozinho, faça!
A pior morte é aquela que nos mortifica a cada dia, na esperança de que vã…