De Dentro Para Fora

Não temos medo da morte, temos medo da vida!
Abandonamos aquilo que a nossa mente sabota.
Acreditamos em nossos medos, criamos os obstáculos...
Ficamos condicionados as zonas de conforto, como parasitas.
Travamos a nossa mente, eliminamos neurônios, desaprendemos.
Aos poucos vemos refletido a imagem que sempre evitamos, mas que permitimos nos tornar.
Ficamos com medos absurdos e aceitamos tudo como irreversível.
Nada é impossível quando se quer de verdade, quando arde dentro de nós. Nada é tão determinante quanto uma mente acuada... ela trava, ela priva, ela domina!
E os sonhos viram meras ilusões!
Talvez seja o medo de errar, talvez seja o medo de ser feliz!
Quase ninguém sabe dizer o que é felicidade, pois estão todos ocupados com suas tristezas.
É incrível como a dor consegue ser predominante na vida das pessoas... poucos conseguem ver a vida com um olhar otimista.
Muitos viram reféns de religiosos aproveitadores, que sabem da carência destas pessoas... almas em sofrimento constante e que buscam algum conforto, uma palavra de incentivo.
E surgem os "diabos"... seres responsáveis por tudo de ruim que nos acontece!
Seria cômico se não fosse trágico, assistir a humanidade culpando o invisível por suas escolhas.
Somos capazes de virar o jogo, somos autores da nossa história. Podemos mudar tudo se o desejarmos.
Pensar diferente, agir diferente, para resultados diferentes.
Nada será de outra forma se não houver uma transmutação, algo de dentro para fora, como o milho que vira pipoca!
Deixar-se cair na gordura quente e ali se transformar. Deixar que o verdadeiro Ser venha a tona!
E embora não hajam caminhos, poder-se-á encontrar uma saída.
O equilíbrio nos trás a resposta.
Olhe para dentro de si mesmo, vasculhe o seu interior com honestidade... não busque no outro o que está dentro de você, sempre esteve.
Ouça a sua intuição com calma, sem pressa. Avalie tudo até aqui e perceba o quanto da sua vida foi você quem sabotou.
Não deixe que o medo de viver o endureça. Respire bem fundo, devagar. Sinta o ar nos seus pulmões, expire ar e inspire vida!
Retome seus projetos, trace metas, cuide daquilo que enche o seu Ser de sonhos!
Assista um pôr-do-sol... Abençoe a si mesmo.
Crie hábitos diferentes de tudo até aqui.
Mas, acima de tudo e por tudo que já vivenciou; não repita o mesmo erro.
O medo da vida leva à morte!
Portanto, desapegue-se do passado, mire o futuro e viva uma vida cheia de altos e baixos, mas decididamente fascinante!
Crie asas... permita-se alçar voos e o impossível será apenas uma questão de opinião.
Permita-se desvencilhar-se das amarras e sinta-se livre para novas metas, novos rumos.
O mundo gira e você não pode se deixar ficar parado. Mova-se.
Não tenha medo de ser você!
Na pior das hipóteses o que pode acontecer é descobrir que todas as suas convicções não eram nada mais que prisões.
Não tente viver velhas histórias, cheias de mofos e que não deram em nada. Busque viver com o novo, o que fizer seu coração pulsar.
Tire a cabeça da forca e creia que existe uma possibilidade para cada dificuldade, basta manter o olhar mais atento.
Resgate-se de si mesmo. Mergulhe em si próprio. Avalie as suas perguntas e veja as suas respostas. Nada está no outro, está em nós.
Ilumine-se, ore, peça, confie e agradeça.
A benção não vem de fora, está dentro de você.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Sobre Abraços...