Talvez.

Talvez a chuva lave parcialmente tudo que vivemos
Talvez a água leve os planos que fizemos
Talvez os sonhos sejam outros
Daqui por diante...
Talvez muito de nós nunca se apague
Somente se transforme.
Talvez a chuva arraste as lembranças
E fique tudo mais claro...
Como depois de toda tempestade.
Talvez possamos nos falar sem mágoas
Talvez... quem sabe?
O tempo pode ser um aliado
Ou apenas poderá nos dar aquilo que nunca fomos capazes de ter!
Talvez nos traga a paz.
Sei que tudo é muito recente.
Mas também sei que tudo se supera.
Talvez um dia possamos olhar para trás e ver
Sem o véu do romantismo
Sem a falsa promessa das ilusões que criamos
A verdadeira razão de tudo isso!
Talvez seja esse o recado da chuva
Onde lágrimas se misturam em conflito.
Só  sei que o que foi nunca terá retorno
E o que não vivemos ficou para outro alguém...
E as nuvens lá em cima anunciam novas torrentes
Talvez mais provocantes, mais ácidas
Não sei...
Haja o que houver
Venha o que vier...
Estaremos prontos ao novo
Pois assim é a vida
Que renasce a cada dia sem a nossa permissão
E em meio ao caos de tantas dúvidas
Sei que the last time...
Foi a  última vez!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Homem morre quando deixa de Sonhar!

Por Um Fio